Imagens extraordinárias de Aspergillus restringus

Em 2017, o Bureau Central Holandês de Culturas Fúngicas foi renomeado como Westerdijk Fungal Biodiversity Institute, depois de Johanna Westerdijk. Westerdijk foi a primeira professora da Holanda e diretora do centro de 1907 a 1952. Ela tinha um grande interesse por fungos e, sob sua liderança, a coleção do instituto tornou-se a maior do mundo. Um século depois de sua nomeação como professora, as realizações de Westerdijk foram celebradas com a renomeação do centro e a revelação de várias imagens extraordinárias de Aspergillus strictus.

A. restrus é um molde que pode crescer em ambientes com pouca água. A espécie é freqüentemente encontrada no ar interno e na poeira doméstica e é considerada uma causa potencial de problemas respiratórios; A. restrus também pode contribuir para a podridão dos cereais e do algodão. Neste projeto, imagens de alta resolução das espécies foram tiradas em várias ampliações, usando ambos luz e elétron microscopia. Essas imagens, copiadas abaixo, permitem que o visualizador amplie a estrutura do molde em diferentes níveis de detalhe. Isso significa que podemos explorar as várias fases do crescimento do fungo, de diferentes ângulos e ampliações. Para referência, diagramas simplificados do Aspergillus o ciclo de vida e a estrutura são incluídos primeiro.

O ciclo de vida de Aspergillus. [Imagem copiada de: https://aspergillusproject11.wordpress.com/2013/04/18/life-cycle/]

Estrutura da cabeça do conídio. [Imagem adaptada de: https://mycology.adelaide.edu.au/descriptions/hyphomycetes/aspergillus/]

Imagens de Aspergillus strictus:

Uma das várias imagens de Aspergillus strictus. Colônia de <em>Aspergillus</em> restrus, medindo aproximadamente 1 cm (barra = 1 mm). Hifas aéreas brancas podem ser vistas em toda a colônia.

A Aspergillus strictus colônia, medindo aproximadamente 1 cm (barra = 1 mm). Hifas aéreas brancas podem ser vistas em toda a colônia.

Uma imagem tirada mais perto do centro da colônia (barra = 0,5 mm). Hifas aéreas brancas e conidióforos colunares verdes podem ser vistos por toda parte.

A borda da colônia (barra = 0,5 mm). Hifas aéreas brancas, com os estágios iniciais de formação de conidióforo, podem ser vistas na borda da colônia (parte inferior da imagem). Os conídios verdes, organizados em linhas e colunas, são vistos mais centralmente (parte superior da imagem).

A borda da colônia (barra = 0,1 mm). A formação da cabeça conidial é visível em toda a imagem. As hifas podem ser vistas crescendo na placa de ágar e para cima; hifas aéreas também cruzam acima dessas estruturas.

Imagem mostrando vários estágios de formação da cabeça do conídio. As hifas aéreas podem ser vistas no canto inferior direito. As vesículas, encontradas na extremidade das hastes, são transparentes. Uma fileira de fiálides cresce a partir de várias vesículas e os conídios se organizam em fileiras e colunas após essas. As fileiras de conídios freqüentemente giram no sentido horário (barra = 0,1 mm).

Imagem com cor falsa para mostrar claramente os vários estágios de formação e crescimento da cabeça dos conídios (barra = 0,05 mm).

Imagem em cores falsas mostrando ornamentação na superfície de conídios maduros (barra = 0,01 mm). Esses detalhes não são visíveis nos conídios recém-formados.

Cabeças de conídios vistas em 3 diferentes estágios de desenvolvimento (barra = 0,01 mm). No centro, uma vesícula se formou no final do estipe. No canto inferior direito, uma camada de fiálides cresceu na vesícula. No topo da imagem, pode-se observar o desenvolvimento de conídios ornamentados e maduros.

Imagem em cores falsas mostrando material na superfície das fiálides (marrom) e a ornamentação em desenvolvimento dos primeiros conídios (verde) (barra = 0,001 mm)

Superfície celular e ornamentação dos conídios em várias ampliações e ângulos. A imagem D mostra a formação de uma coroa em cada extremidade dos conídios (barras = 0,001 mm nas imagens A, B e D e 0,0001 mm nas imagens C e E)

A) Imagem mostrando a aparência do material na superfície das pontas dos fiálides em desenvolvimento (barra = 0,001 mm). B) A área onde o fiálide encontra os conídios em desenvolvimento. A estrutura do material na superfície do fiálide pode ser vista; cada unidade consiste em uma cabeça e uma cauda (barra = 0,0001 mm).

 

Essas imagens, produzidas pelo Westerdijk Fungal Biodiversity Institute, mostram a estrutura e o desenvolvimento da Aspergillus strictus em detalhes incríveis. Existem várias perguntas e descobertas surpreendentes que surgem desse nível de detalhe. Por exemplo, a torção no sentido horário de fileiras de conídios não foi descrita anteriormente, e a composição química do material encontrado nas superfícies de fiálide é desconhecida. Portanto, essa tecnologia não apenas nos fornece essas imagens impressionantes, mas também pode levar a novas pesquisas e uma maior compreensão da estrutura e do desenvolvimento dos fungos. Maior conhecimento de Aspergillus o crescimento e a função podem auxiliar no desenvolvimento de medicamentos que impedem seu crescimento.

Leia o artigo completo: Jan Dijksterhuis, Wim van Egmond e Andrew Yarwood (2020), Da colônia ao rodlet: “Um retrato de seis metros do fungo xerofílico Aspergillus strictus decora o salão do Instituto Westerdijk.”

Deixe uma resposta