Isolamento COVID: bem-estar mental enquanto fica em casa

O NHS do Reino Unido divulgou uma lista de recursos úteis para ajudar a proteger sua saúde mental durante esse período de isolamento atual do COVID. Nós reproduzimos algumas delas aqui com o objetivo de permitir a indexação de muitas seções, esperamos tornar o acesso um pouco mais rápido e fácil.

Cuidar da mente e do corpo é realmente importante enquanto fica em casa por causa do coronavírus (COVID-19).

Você pode se sentir entediado, frustrado ou sozinho. Você também pode estar baixo, preocupado ou ansioso, ou preocupado com suas finanças, sua saúde ou com as pessoas próximas a você.

É importante lembrar que não há problema em se sentir assim e que todos reagem de maneira diferente. Lembre-se, essa situação é temporária e, para a maioria de nós, esses sentimentos vão passar. Ficar em casa pode ser difícil, mas você está ajudando a proteger a si e aos outros.

As dicas e conselhos aqui são coisas que você pode fazer agora para ajudá-lo a manter o controle do seu bem-estar mental e a lidar com a forma como você se sente ao ficar em casa. Certifique-se de obter mais suporte, se achar necessário.

O governo também tem orientação mais ampla sobre ficar em casa como resultado do coronavírus.

Para ler a página completa do NHS 'Preocupado com coronavírus', clique aqui

 

 

Para um recurso mais completo sobre saúde mental, consulte a página do NHS 'Toda mente importa'.

EMM - Coronavirus - Fique em casa - Conheça seus direitos

1. Descubra seus direitos trabalhistas e benefícios

Você pode estar preocupado com trabalho e dinheiro enquanto precisa ficar em casa - esses problemas podem ter um grande efeito em sua saúde mental.

Se você ainda não o fez, converse com seu empregador sobre trabalhar em casa e saiba mais sobre seus subsídios por doença e direitos de benefícios. Conhecendo os detalhes sobre o que o surto de coronavírus significa para você (somente Inglaterra e País de Gales) pode reduzir a preocupação e ajudar você a se sentir mais no controle.

GOV.UK: Suporte ao Coronavirus

2. Planeje coisas práticas

Descubra como você pode obter qualquer material doméstico necessário. Você pode tentar perguntar a vizinhos ou amigos da família ou encontrar um serviço de entrega.

Continue acessando o tratamento e o suporte para quaisquer problemas de saúde física ou mental existentes, sempre que possível. Informe os serviços que você está em casa e discuta como continuar recebendo suporte.

Se você precisar de medicamentos regulares, poderá solicitar prescrições repetidas por telefone ou on-line por meio de um site ou aplicativo. Entre em contato com o seu médico de família e pergunte se eles oferecem isso. Você também pode perguntar à sua farmácia sobre a entrega do medicamento ou pedir a alguém para coletá-lo para você.

Se você apoia ou cuida de outras pessoas, em sua casa ou visitando-as regularmente, pense em quem pode ajudar enquanto você estiver em casa. Deixei sua autoridade local (somente Inglaterra, Escócia e País de Gales) saber se você presta assistência ou apoia alguém com quem não mora. A Carers UK tem mais conselhos sobre a criação de um plano de contingência.

Prestadores de cuidados UK: Coronavirus

3. Mantenha-se conectado com os outros

Manter relacionamentos saudáveis com pessoas em quem você confia é importante para o seu bem-estar mental. Pense em como você pode manter contato com amigos e familiares enquanto estiver em casa - por telefone, mensagens, videochamadas ou mídias sociais - sejam as pessoas que você costuma ver com frequência ou se conectando com velhos amigos.

Muitas pessoas estão achando difícil a situação atual, portanto, manter contato também pode ajudá-las.

4. Fale sobre suas preocupações

É normal sentir-se um pouco preocupado, assustado ou desamparado com a situação atual. Lembre-se: não há problema em compartilhar suas preocupações com outras pessoas em quem você confia - e isso pode ajudá-las também.

Se você não puder falar com alguém que conhece ou se isso não ajudou, existem várias linhas de ajuda que você pode tentar.

NHS - linhas de apoio recomendadas

5. Cuide do seu corpo

Nossa saúde física tem um grande impacto em como nos sentimos. Em momentos como esses, pode ser fácil cair em padrões de comportamento prejudiciais que acabam fazendo você se sentir pior.

Tente comer refeições saudáveis e equilibradas, beba bastante água e faça exercícios regularmente. Evite fumar ou usar drogas e tente não beber muito álcool.

Você pode sair de sua casa, sozinho ou com os membros da sua família, por uma forma de exercício por dia - como caminhar, correr ou andar de bicicleta. Mas faça com que você mantenha uma distância segura de 2 metros dos outros. Ou você pode tentar um dos nossos exercícios caseiros fáceis de 10 minutos.

Tente um treino em casa de 10 minutos

6. Fique por dentro de sentimentos difíceis

A preocupação com o surto de coronavírus é perfeitamente normal. No entanto, algumas pessoas podem experimentar ansiedade intensa que pode afetar sua vida cotidiana.

Tente se concentrar nas coisas que você pode controlar, como como você age, com quem você fala e de onde obtém informações.

É bom reconhecer que algumas coisas estão fora de seu controle, mas se pensamentos constantes sobre a situação estiverem fazendo você se sentir ansioso ou oprimido, tente algumas idéias para ajudar a gerenciar sua ansiedade.

7. Não fique colado às notícias

Tente limitar o tempo que você passa assistindo, lendo ou ouvindo a cobertura do surto, inclusive nas mídias sociais, e pense em desativar os alertas de últimas notícias no seu telefone.

Você pode definir um horário específico para ler as atualizações ou limitar-se a verificar algumas vezes por dia.

Use fontes confiáveis - como GOV.UK ou o Site do NHS - e verifique as informações das notícias, mídias sociais ou outras pessoas.

GOV.UK: resposta ao coronavírus

8. Continue fazendo as coisas que você gosta

Se estivermos preocupados, ansiosos, solitários ou desanimados, podemos parar de fazer as coisas que geralmente gostamos.

Faça um esforço para se concentrar no seu hobby favorito, se ainda é algo que você ainda pode fazer em casa. Caso contrário, escolher algo novo para aprender em casa pode ajudar.

Existem muitos tutoriais e cursos gratuitos on-line, e as pessoas estão inventando maneiras criativas de fazer as coisas, como hospedar testes de pub online e concertos de música.

9. Tire um tempo para relaxar

Isso pode ajudar com emoções e preocupações difíceis e melhorar nosso bem-estar. Relaxamento técnicas também pode ajudar a lidar com sentimentos de ansiedade.

10. Pense em sua nova rotina diária

A vida está mudando por um tempo e é provável que você veja alguma interrupção em sua rotina normal. Pense em como você pode se adaptar e criar novas rotinas positivas e definir suas próprias metas.

Você pode achar útil escrever um plano para o seu dia ou a sua semana. Se você estiver trabalhando em casa, tente se levantar e se arrumar da mesma maneira que o normal, mantenha as mesmas horas que normalmente trabalhava e cumpra o mesmo horário de sono.

Você pode definir um novo horário para um treino diário em casa e escolher um horário regular para limpar, ler, assistir a um programa de TV ou filme ou cozinhar.

11. Cuide do seu sono

O sono de boa qualidade faz uma grande diferença na maneira como nos sentimos, por isso é importante obter o suficiente.

Tente manter seu padrão regular de sono e siga as boas práticas de sono.

12. Mantenha sua mente ativa

Leia, escreva, jogue, faça palavras cruzadas, complete quebra-cabeças de sudoku, termine quebra-cabeças ou tente desenhar e pintar.

Seja o que for, encontre algo que funcione para você.

Como posso me proteger da poluição do ar?

Air pollution is increasingly reported as being something we need to improve if we are to prevent damaging the health of millions of people. Anyone who experienced the ‘pea-souper’ fogs of the 1960s and earlier needs little introduction to the subject, but the Clean Air Acts in the UK in 1956, 1963 and 1993 sorted that out didn’t they? After all, we don’t see those dreadful weather conditions any more do we and now that we no longer burn coal very much those chimneys belching black smoke are a thing of the past?

In truth, conditions are very much better now compared with the 50s but we are a long way from eliminating the air pollution problem, The rise of the motor car and diesel goods transport is a major factor and the harmful, irritant gasses released are much less obvious so tend to be hidden. In the UK these pollutants are now closely monitored by the Environmental Agency and include nitrogen dioxide, sulfur dioxide, carbon monoxide, pm2.5 particulates.

Exposure to airway irritants is still very common outside the home – the popularity of wood-burning stoves in urban and suburban areas is a good example of a new trend that can make matters worse. Bonfires and fireworks are a problem at some times of the year and Global Warming may also lead to increased risk of uncontrolled burning such as happened on the moors surrounding Manchester in 2018 and happens in the US and are currently ongoing in large parts of Australia. Burning causes vast quantities of very fine dust particles and gasses to be released that someone with asthma can find very disabling and after the ongoing bushfires National Asthma Council Australia have published useful help about how to cope with asthma if you find yourself in a smoky area.

An excellent review of the harm air pollution can do to our health and a call to government to take action was released in 2018 by the Royal College of Physicians (Every breath we take: the lifelong impact of air pollution ) and it has been followed up two years later in 2020 when, rather discouragingly they note that some chances to change things have already been missed and progress has been minimal: https://www.rcplondon.ac.uk/news/reducing-air-pollution-uk-progress-report-2018

Is there anything we can do to reduce prevent us from inhaling these irritants?

The British Lung Foundation has an extensive article on this subject for outdoor air. They aren’t particularly supportive about the use of facemasks but some aspergillosis patients report that there is some benefit, especially when travelling or gardening.

Indoors as long as we keep doors and windows closed we can keep out a lot of the pollution in the outside air, but of course, it is not always possible to do so as we also need to vent out excess moisture from our homes at regular intervals eg when we shower, bathe, cook or do the laundry. Air filters for use in the home have long been available varying from the token small device to large floor standing devices but are they any good? The answer is that they can reliably clean some things out of the air provided that they are big enough to suit your room size. Good Housekeeping has written a useful guide.

There is a freely available world map of air pollution at https://waqi.info/

map of air pollution

 

How people with aspergillosis can help look after their liver

What does our liver do?

Our livers are really important for us to live a healthy life. Tucked right underneath our ribcage it is a large soft organ that has a rich blood supply. It can recognise and break down or filter any toxic substances that it may find – consequently our blood is quickly cleaned of anything that is not meant to be in our bloodstream.

Toxic substances can get into our body when we eat them, drink them, inhale then or when our doctors inject substances directly into our bloodstream. They can even be part of the daily process that continually renews the tissues that make up our bodies, breaking down proteins and ridding us of any toxic by-products of this process. This is a hugely complex process that we are as yet unable to reproduce artificially – the only way we can replace a badly damaged liver is to replace it with a transplanted donated liver.

What happens if our liver stops working?

Not surprisingly if our livers become dysfunctional our bodies soon start to suffer and there is a long list of illnesses caused by a sick liver. One of the most well-known ways we can damage our livers is to take alcoholic drinks to excess regularly, but we should also be aware that obesity is also a risk to our livers.

Why is this important to aspergillosis patients?

In addition aspergillosis patients should be aware that the medications that they have to take can risk damaging their livers. Doctors closely monitor their patients especially when they first prescribe a mediation that may cause toxicity. They need to watch closely for signs of the liver starting to be distressed by monitoring the signs using blood tests referred to as liver function tests. The purpose of these tests is to detect the very early signs of liver distress so that the doctor can take action to prevent any long term damage.
We know that antifungal medication can cause liver damage in some people, sometimes because the dose of an antifungal is too high and a quick adjustment can prevent further problems, or sometimes the patient is switched to a different drug if dose reduction doesn’t have the desired impact on the liver.

What can I do?

What can you, the patient do to help yourselves when taking an antifungal medication? Firstly, of course, it is very important to have a good working relationship with your medication team and report any new symptoms quickly to your doctor can assess if any action is needed.

You can also help by keeping your liver in the best condition it can be so that it can detoxify your blood quickly and keep you in the best health possible. You may be surprised by some of the things you should and shouldn’t do!

  • Smoking is bad. There are hundreds of toxins in cigarette smoke that your liver has to work on to keep you well while it should be working on other toxins
  • Coffee is good! Take a few cups a day but ensure you are still taking plenty of water as well
  • Alcoholic drinks – stick to medical advice. If you are taking antifungal drugs I am afraid the advice is no alcohol consumption (your liver will love you for it)
  • Eat the rainbow – select fruit and veg of every colour to be part of your diet.
  • Take care when using acetaminophen – often found in colds & flu remedies. No more than 4000 milligrams per day.
  • Weight – keep your Body Mass Index between 18 and 25
  • Infection control – wash your hands well after using the toilet and before preparing food
  • Exercise as much as you can – see your specialist physio for advice
  • Get vaccinated against hepatitis
  • Practice safe sex – diseases transmitted by sex can hurt your liver
  • Avoid ‘liver detox’ products eg milk thistle, turmeric. Tell your doctor what you are taking.

NOTE: Herbs and supplements cause 25% of the liver damage treated by doctors – especially borage, comfrey, groomwell, coltsfoot but also Atractylis gummifera, celandine, chaparral, germander and pennyroyal oil.

Good foods for your liver (all in moderation)

  • Coffee
  • Oatmeal
  • Green tea
  • Water
  • Almonds
  • Spinach
  • Blueberries
  • Herbs & spices

Foods you should limit

  • Sugar
  • Fatty foods
  • Salt
  • snack foods (usually rich in the above)
  • Alcohol

Stoptober

Stoptober is an initiative which aims to help people quit smoking. The dangers of smoking are well understood, but for those with chronic lung conditions the risks can be even greater – for example smokers are 5 times more likely to catch the flu, a major complication for aspergillosis patients.

We have had 2 talks at the National Aspergillosis Centre patient and carer support meeting that mentioned smoking and aspergillosis. At one meeting, Dr Khaled Al-shair (National Aspergillosis Centre Researcher) spoke of several guidelines to help patients suffering from Chronic Pulmonary Aspergillosis (CPA) feel their best while being treated at the NAC. Exercise and good diet played their part but one of the major improvements many patients can make to their lifestyle was to stop smoking cigarettes.

We have also had a talk from our local ‘Stop Smoking’ nurse – this talk focused what can be done locally using UHSM (University Hospital of South Manchester) services; so if you are a NAC patient or live withing striking distance of UHSM (Manchester, UK) you can take advantage of this help directly. There was also extensive information for anyone about the advantages of giving up cigarettes and different strategies to employ when trying to find a way to stop smoking.

The NHS also provides a wealth of information and advice on quitting smoking which can be found here.

Advice for people with respiratory conditions in winter

https://www.youtube.com/watch?v=uvweHEQ6nYs

Many patients with respiratory conditions like aspergillosis report increased frequency of chest infections during the winter months, and this is mentioned repeatedly in our Facebook support groups (Public, Private). The cold weather brings problems of many kinds, but respiratory infection is one of the most serious. Infections by bacteria or virus have a major impact on their quality of life as their breathing becomes restricted and often they quickly become too exhausted to carry on with tasks of daily living.

Why does the winter cause increased vulnerability to respiratory infections? Is it because of the cold weather making us weaker and unable to fight off infection? In part – yes it is! Cold air cannot hold moisture as well as warmer air and thus cold air, is drier air. Inhaling dry air tends to dry out our airways and this can make us vulnerable to infection. This has two impacts – it irritates the lining of our airways and makes us cough, which itself increases our risk of infection, but it also dries out the mucous lining our airways and makes it more difficult to move – so we end up coughing much more than normal as we try to cough up this thickened substance.

People with chronic respiratory disease such as COPD, asthma, aspergillosis are particularly vulnerable to dry air as their airways are very sensitive to irritation.

Winter holds all kinds of pressures for the NHS and one of the biggest is a huge increase in people with respiratory conditions whose condition has become worse as a result of the cold weather. This video includes some advice on how to make sure the cold doesn’t affect your condition to prevent you from needing hospital treatment.

Reproduced with thanks, produced by NHS Blackpool CCG 2019

1 2 3 ... 5